4 Dicas certeiras para prevenir varizes

Quer saber o que fazer para prevenir varizes? Então, continue lendo o artigo com 4 dicas bem legais!

Geralmente, as varizes surgem por condição genética (quando se tem casos na família) ou por sedentarismo, sobrepeso, alterações hormonais, gravidez, tabagismo, entre outros.

O fato é que independente da causa, os sintomas acabam se agravando no verão, não é por acaso que cremes para combater as varizes como o Varigold viram sucesso de vendas quando o verão está próximo, afinal ninguém quer ir pra praia com as pernas feias..

Mas, é preciso ter em mente que existem alguns fatores, hábitos simples do dia a dia, que podem contribuir, e muito, para o agravamento do quadro, desde ficar muito tempo sentado até ficar muito tempo de pé…

Nesse sentido, quem tem histórico do problema na família, é fundamental começar a se prevenir desde cedo, evitando, ou adiando ao máximo, o surgimento de varizes e vasinhos, ficando alerta para os maus hábitos.

Ainda tem dúvidas sobre que hábitos começar a mudar? Então, confira abaixo 4 deles para começar a incluir em seu dia a dia e, assim, manter as varizes bem longe.

Invista em uma boa alimentação

Não é de hoje que a ciência já comprovou que os hábitos alimentares de uma pessoa podem ser benéficos ou prejudicar a circulação e, consequentemente, as varizes.

É preciso ter em mente que alimentos ricos em sal, açúcar e gordura causam inflamações e aumento de peso, enfraquecendo a parede dos vasos.

Enquanto alimentos saudáveis, principalmente os abundantes em vitamina C, fibras e ômega 3 podem ser verdadeiros aliados, agindo para “limpar o sangue” e melhorar a circulação.

Por isso, é fundamental investir nos alimentos certos, cuidando sempre do peso, principalmente, do percentual de gordura abdominal, já que isso dificulta a passagem do sangue das pernas de volta para o coração.

Mexa-se

Quem ainda não tem o hábito de se exercitar regularmente, está na hora de começar, principalmente, quem tem predisposição a desenvolver varizes deve evitar ficar parado por muito tempo numa mesma posição, tanto em pé como sentado.

A dica é além de investir em exercícios que estimulam a circulação, como caminhar, subir e descer escadas, nadar etc., procurar movimentar as pernas a cada duas horas, evitando sobrecarregar demais as veias. E vale caminhar por dois minutos ou, até mesmo, fazer um simples exercício de panturrilha (levantar-se nas pontas do pés).

Escolha os calçados certos

Se escolher algum sapato que dificulte sua pisada, ou alto demais, apertado, estreito…pode acabar prejudicando a circulação nas pernas e se isso virar um hábito, vai facilitar o acúmulo de sangue nas pernas e o surgimento de varizes.

Por isso, é preciso ficar atento a numeração, escolher com calma, levando em consideração o conforto. E se mesmo assim, ao fim do dia, continuar com a sensação de cansaço, vale considerar o uso de meias de compressão, que podem ajudar a aliviar o desconforto. Por comprimirem a canela, elas ajudam a diminuir a gravidade para os vasos sanguíneos, facilitando o bombeamento do sangue. Mas, atenção, é preciso consultar um médico antes de adotar meias de compressão, para saber qual é a ideal para o seu caso, do contrário, poderá agravar ainda mais o problema.

Beba muito líquido

Outra dica que parece óbvia, mas que muita gente não segue e que é muito importante, é beber muito líquido para reduzir os inchaços nas pernas. Acredite, se manter sempre hidratado irá ajudar no retorno venoso, diminuindo o cansaço e a sensação de peso dos membros.

Vale lembrar que, muito mais do que uma preocupação estética, as varizes, se não tratadas corretamente, podem aumentar e até progredir, dessa forma, aumentando as chances de adquirir doenças circulatórias mais graves, como trombose, insuficiência venosa profunda, embolia pulmonar, etc.

Próstata Aumentada: Dieta e Remédios

Entre os fatores associados ao aumento da próstata, segundo alguns estudos, há um aumento na cintura, um alto nível de colesterol e pressão alta: é fácil entender o quanto é importante prestar a devida atenção à sua dieta diária. 

A ingestão excessiva de gorduras saturadas, encontrada principalmente em alimentos de origem animal, além de aumentar o risco de doenças cardíacas e outras patologias, também pode contribuir para o aumento da próstata.
Carboidratos refinados e farinhas enriquecidas também seriam evitados, ou pelo menos limitados: é melhor preferir grãos integrais ricos em fibras a produtos como pão, macarrão e lanches produzidos com farinhas refinadas.

O aumento no tamanho da próstata também parece estar relacionado ao consumo de ovos e aves, enquanto sua associação com o consumo de leite, queijo e iogurte ainda é controversa.
Parece então que os açúcares adicionados podem contribuir para o aparecimento de outras doenças da próstata, bem como inúmeras outras doenças: é necessário, portanto, tentar eliminar da sua dieta os elementos que contêm grandes quantidades, como doces, bolos, biscoitos, sorvetes, geleias e em geral, preste atenção aos rótulos dos alimentos embalados.

Alimentos recomendados em caso de aumento da próstata

Existem alguns alimentos que também têm uma função anti-inflamatória na próstata e, portanto, podem ajudar a aliviar os sintomas de um aumento da próstata (mesmo que você ainda não consiga ficar sem a terapia medicamentosa adequada prescrita por um especialista). A dieta no caso da próstata aumentada inclui alimentos ricos em Omega3, como peixe azul, marisco, azeite extra-virgem, cenoura, abóbora, abobrinha, repolho, erva-doce, chicória, nabos, peras e maçãs cozidas e sem açúcar.

Remédios para aumento da próstata

Existem outros elementos aliados da próstata: licopeno, contido em grandes quantidades nos tomates; polifenóis, que são ricos em chá verde; isoflavonas contidas, por exemplo, em soja; o resveratrol, presente nas uvas, e micronutrientes como zinco e selênio, todas substâncias com uma importante ação antioxidante útil para proteger a próstata, mas também para prevenir tumores em geral.

Agora um suplemento natural que vem ganhando força no mercado é o renovaprost que é um suplemento natural para prevenir e tratar doenças relacionadas a próstata, o bom desse produto é que ele não tem contra-indicações e nem efeitos colaterais.

No caso de problemas de próstata, você deve sempre consultar um médico, que prescreverá a terapia mais adequada, mas existem alguns remédios para uma próstata aumentada que podem ser combinados com terapia medicamentosa, sempre sob a orientação do especialista. A nutrição adequada, como já vimos, é o remédio mais útil, mas no caso de uma próstata aumentada, Serenoa repes , uma planta da América do Sul que possui propriedades diuréticas, anti-inflamatórias e sedativas e pode, portanto, aliviar alguns sintomas, também pode ajudar. de distúrbios da próstata.

5 Passos básicos mas fundamentais para emagrecer

Veio até aqui querendo saber como emagrecer de maneira realmente eficaz? Então, continue lendo.

Segundo o IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, pela primeira vez na história, o número de pessoas acima da faixa de peso ideal ultrapassou os 60%, ou seja, mais de 80 milhões de brasileiros estão em uma faixa perigosa de peso.

Lembrando que o excesso de peso pode trazer muitas doenças, buscar um estilo de vida mais equilibrado é fundamental para uma vida saudável.

Infelizmente, muitas pessoas ainda buscam dietas “milagrosas” com o intuito de emagrecer mais rápido, porém, comprovadamente, essas dietas não costumam dar certo, não por muito tempo, até porque, quem consegue levar para a vida inteira uma dieta altamente restritiva?

Por isso, para lhe ajudar a emagrecer, confira abaixo esses 5 passos simples, mas que trazem resultados de verdade e não prejudicam a saúde.

Passo 1 – Evite alimentos à base de farinha

Verdadeiras ciladas, esses alimentos ricos em farinhas, como pães, massas e bolos, por exemplo, eleva os níveis de glicose sanguínea de uma forma rápida e direta, induzindo a uma grande produção de insulina, que faz com que toda essa glicose excedente seja armazenada em forma de gordura. Por isso, se quer emagrecer rápido, evite esses alimentos.

Passo 2 – Evite alimentos industrializados

Ricos em açúcar ou maltodextrina, dextrose, amido de milho, xarope de milho, xarope de glicose, que nada mais são do que outros nomes para o açúcar, que tal como a farinha branca, eleva os níveis de glicose na corrente sanguínea, induzindo a uma produção exacerbada de insulina, fazendo com que toda essa glicose em excesso seja transformada e armazenada em forma de gordura.

Dica Extra: Utilize suplementos naturais para emagrecer, um deles muito bom é o Evocha que ajuda a saciar a fome excessiva, acelerar o metabolismo e por consequência a perder peso.

Passo 3 – Invista em vegetais

Os vegetais são fundamentais para quem quer emagrecer com saúde, por uma série de fatores, como a capacidade de proporcionar saciedade, por exemplo, ou pela pouquíssima quantidade de calorias presentes neles.

Isso sem falar que os vegetais também são ricos em vitaminas, minerais e antioxidantes, substâncias que fazem que ajudam o organismo a funcionar melhor..

Passo 4 – Aposte em gorduras saudáveis

Se engana quem pensa que toda gordura é inimiga das dietas, na verdade, existem gorduras saudáveis, que são as chamadas gorduras saturadas, presentes principalmente em carnes vermelhas, carnes brancas e azeite.

Vale saber que a gordura saturada é capaz de combater o mal colesterol – LDL oxidado, aumentando o nível de bom colesterol – o HDL, auxiliando na oxidação de gorduras maléficas ao organismo, como as armazenadas no abdome, veias e artérias.

Portanto, se quer emagrecer com saúde, não abra mão da gordura saturada.

Passo 5 – Pegue leve nas frutas

Tudo em excesso faz mal ou engorda, e com as frutas isso não é diferente, pois muitas frutas possuem altos índices glicêmicos, e além de serem ricas em frutose, um carboidrato que é digerido muito rapidamente e possui o mesmo efeito do açúcar .

Portanto, se quer emagrecer, não precisa tirar do cardápio, mas pegue leve na manga, banana, mamão, melancia, melão e frutas secas.

E é isso, no mais, preze por boas escolhas alimentares, pratique uma atividade física eficaz, evite dietas da moda, e assim, com certeza, irá emagrecer com saúde.

Plantas medicinais indígenas

Não há um consenso de informações sobre as plantas medicinais. Existem pontos de vista diferentes que resultam de muitos anos de observação e uso das ervas.

Os povos indígenas utilizam as plantas medicinais juntamente com um contexto mais abrangente como palavras “encantadas”, rituais, benzeduras etc.

O conhecimento das plantas passa por sabedorias ancestrais que unem a espiritualidade e a aplicação das ervas.

É muito antigo o uso das plantas entre os povos indígenas que, acredita-se, foram um dos primeiros a explorar esta opção de cura, principalmente para casos de envenenamento, picada de cobras ou unguentos em ferimentos.

As tribos não separam o uso das plantas aos rituais de sabedoria, que geralmente são de conhecimento dos pajés.

As práticas utilizadas vão desde pedidos de proteção até o desmanche de feitiçarias.

O poder das plantas medicinais é associado ao “sopro” do pajé (que é uma prática xamânica), passada de geração em geração.

Este aprendizado, segundo os indígenas, era longo (em média 10 anos) para absorver todos os ensinamentos do “mestre” e exigia um conhecimento profundo das plantas medicinais.

De acordo com a história as primeiras ervas utilizadas pelos índios foram a Kahpi, mais conhecida como ayahuasca, a coca, o tabaco e o paricá. Estas plantas estão imensamente relacionadas com os rituais de cura.

Estas plantas são consideradas vultos mitológicos e são utilizadas para fazer fórmulas que são empregadas em “encantamentos” e cura.

Temos que reconhecer que o conhecimento dos índios sobre plantas medicinais foi muito valioso para nosso avanço no uso de ervas para ajudar a curar doenças ou aliviar os seus sintomas.

O conhecimento indígena sobre plantas medicinais cresceu e várias delas foram reconhecidas como medicamentos distribuídos em grande escala e podem até fazer parte da sua lista de remédios atualmente.

Muitas ervas são utilizadas como matéria prima para o manuseio de medicamentos pelas tribos indígenas, por exemplo:

  • Catuaba: energético indicado para tratamento de insônia, falta de memória, impotência sexual e cansaço físico.
  • Andiroba: Anti-inflamatório e poderoso cicatrizante.
  • Semente de sucupira: energético, combate à febre, artrite, reumatismo, dermatoses e inflamações.
  • Pó de guaraná: estimulante, ativa as funções do cérebro, alivia enxaquecas, combate e previne arteriosclerose, nevralgias, retém hemorragias.
  • Amêndoas de açaizeiro: seu óleo é usado como opção caseira de combater a diarreia. Seu suco é rico em concentração de ferro e alto valor nutritivo, é utilizado para combater casos de desnutrição e anemia.

Pronto, agora você já sabe um pouco mais sobre as plantas medicinais e como elas podem contribuir para a saúde!